História


  • Surgimento

Quando eram oferecidas para as empresas metalúrgicas de todo nordeste, máquinas e ferramentas de estampagem, muitas delas rejeitavam a oferta, pois suas necessidades eram de pequenos lotes, o que não justificava a compra destes equipamentos e por vezes essas empresas recusavam encomendas de seus clientes porque o lote era pequeno, não justificando o investimento. Daí nasceu a ideia de, ao invés de vender estes equipamentos, vender o serviço que essas máquinas ofereciam. Surgindo assim a CPN.

  • Linha do Tempo

Em 1999, ano da instalação da CPN, recebemos incentivos do governo cearense (FDI) e crédito do Banco do Nordeste (FNE), parceiros que acreditaram em nossa ideia de ocupar o espaço que havia no mercado para uma terceirizadora de empresas do Nordeste, na fabricação de componentes metálicos, com instalações próximas as suas fábricas.

A CPN foi pioneira na região, no serviço de estampagem de chapas metálicas para terceiros, ao adquirir uma máquina puncionadeira CNC, equipamento de origem americana. Máquina esta que corta e fura chapas metálicas com até 600 golpes por minuto, oferecendo velocidade e flexibilidade na confecção das peças.

Em 2001, voltamos a inovar, adquirimos uma máquina de dobra comandada por computador, importada da Alemanha. Esta máquina, além da grande qualidade da dobra no produto, aumenta substancialmente a velocidade e em consequência a produtividade. Começamos ai uma nova vanguarda na empresa. Nesse mesmo ano ampliamos nossa área de fábrica, passamos de 600m² para 1.500m².

Em 2003, iniciamos a confecção de peças que necessitavam de solda e pintura. Adquirimos neste ano diversas máquinas de solda MIG, TIG e montamos uma estrutura semi-automatizada para pintura eletrostática, colocando assim a CPN na condição de uma das maiores empresas nordestinas prestadoras de serviço na área metal mecânica.

Em 2005, começamos a trabalhar com mobiliário urbano, abrigos de ônibus, postes de endereçamento de ruas, braços de iluminação publica (simples e decorativas) e outros produtos sujeitos a intempéries, por esta razão, montamos em nossa fábrica uma nova atividade, uma galvanoplastia eletrolítica e uma galvanização a fogo. Mais uma vez aumentamos nossa área fabril, passamos de 1.200m² para 3,000m².

Em 2006, uma nova revolução no Nordeste: adquirimos a primeira máquina à corte laser da região. O processo de corte a laser permite produzir peças complexas e precisas, com juntas de corte mínimas permitindo assim realizar tarefas extremamente delicadas, possibilitando uma imediata resposta na alteração de projetos ao mesmo tempo em que garante qualidade e exatidão na produção de grandes quantidades.

Em 2007, nossa revolução foi nas pessoas, começamos a formar todos os nossos colaboradores. Instituímos um curso supletivo 2º grau e vários cursos técnicos em nossas instalações, disponibilizando a todos os recursos necessários para que eles tivessem a melhor condição possível para o aprendizado. Também começamos a fortalecer nossa gestão empresarial adotando a metodologia do GESTINNO com o apoio da FIEC e IEL.

Em 2009, iniciamos o projeto Vínculos, outro apoio do FIEC e IEL. Com isso veio o processo de certificação da ISO 9001:2008. Apresentamos um projeto de inovação tecnológica no FUNCAP e fomos aprovados neste projeto com a parceria da UNIFOR.

Em 2011, mais uma vez estamos revolucionando o setor metalúrgico no nordeste, implementando o primeiro ROBÔ de solda em uma indústria metalúrgica para produzir peças automotivas e similares.

Essa “linha do tempo” serve para deixar claro que a CPN tem motivos de sobra para comemorar os seus 12 anos de existência. A empresa foi criada oficialmente em 07/02/1999, mas costuma comemorar seu aniversário durante todo o mês de Julho, mês este em que foi emitida sua primeira nota fiscal. Mas, o que importa é que foram 12 anos intensos e de expressiva relevância para a indústria do Nordeste.